Ola pessoal neste conto vou relatar o que aconteceu com um amigo que teve uma inacreditável experiência sexual com uma transexual.

Era início da primavera e estava chegando um bom feriadão prolongado e eu estava planejando ir para algum lugar mas ainda não sabia onde, não sou um cara muito de farras então as vezes era difícil saber o que fazer nessas épocas. Foi então que conversando com meu patrão recebi o convite dele para passar o feriado numa chácara que ele tinha, sem pensar aceitei e me senti privilegiado pois sua fama de poucos amigos quando envolvia funcionários da empresa era grande. Lógico que isso tinha um propósito que era estudar melhor um projeto que eu estava desenvolvendo.

Na sexta feira cedo peguei meu carro e fui para a chácara do Sr. Dantas, quando cheguei parei o carro numa área gramada próximo ao portão, desci do carro e fui procura-lo, quando cheguei na área dos fundos tinha uma enorme piscina junto a uma varanda também de grande proporção com churrasqueira, forno a lenha, e tudo que um rico empresário pode ter. Enquanto observava uma pessoa de voz delicada me cumprimentou e logo disse que o pai dela havia saído mas logo voltava e que eu podia ficar a vontade.

Quando me virei vi uma jovem garota que provavelmente não tinha nem 18 anos, era magra, rosto com leves traços orientais (vindo de seus avós materno) pele morena bem clara como do Sr. Danta, e cabelos lisos na altura dos ombros um pouco ruivos (provavelmente pintados). Me aproximei e cumprimentou com um beijo no rosto e disse que me chamava Fabricio e trabalhava para o pai dela, e ela disse que já tinha sido avisada pelo pai dela que eu iria chegar e disse que se chamava Sarah. Depois de nos apresentamos ela disse que iria nadar e pediu licença, eu disse que tudo bem e me sentem numa cadeira na varanda. Foi impossível não olhar mais atentamente seu corpo pois estava com um biquíni pequeno com um shortinho na parte de baixo mas que realçava sua bundinha redondinha.

Enquanto eu a observava nadando vi o Sr. Dantas chegando e me levantei e fui ao encontro dele que me cumprimentou agradecendo que eu ter aceito o convite dele. Agradeci pela oportunidade e ofereci ajuda para tirar umas compras do carro, enquanto levava as compras para a cozinha sempre que passava perto da piscina olhava Sarah nadando, e assim foi ao longo de todo o dia, sempre que a via acabava atraindo minha atenção. Passei quase todo o dia mostrando os detalhes do novo projeto para o Sr. Dantas e acabei nem aproveitando a piscina. Durante a noite nos reunimos para jantar e novamente não pude deixar de olhar para Sarah que estava vestida com um vestidinho curto de alcinha, branco com pequenas flores estampadas e que realçava seu corpo magro e de baixa estatura.

Após o jantar e de uma conversa descontraída com o Sr. Dantas decidi ir me deitar mas antes de ir o Sr. Dantas disse que havia notado meus olhares para a filha dele, ouvindo isso trate de pedir desculpas pelo inconveniente, o Sr. Dantas então disse que tudo bem, mas que eu deveria saber que na verdade a filha dele era um transexual. Fiquei surpreso em saber que ela na verdade era um garoto, mas sem querer ser inconveniente não especulei detalhes e disse que iria dormir. Mas diante de tamanha surpresa acabei perdendo o sono e rolava na cama me perguntando como havia ficado tão atraído por uma transexual. Inquieto decidi ir tomar água, mas no meio do corredor desviei meu trajeto e acabei indo até o quarto de Sarah.

Abri a porta lentamente e entrei no quarto, que era grande e todo enfeitado como de uma garota adolescente, com bichos de pelúcia, muitos detalhes em rosa e lilás. Olhei para a cama fiquei observando Sarah dormindo de bruços coberta com um edredom, cheguei mais perto da cama e me abaixando um pouco comecei a passar a mão nas costas dela que dormia como se tivesse tomado um calmamente. Percebendo isso resolvi ser mais ousado e descobri ela, Sarah usava uma camisola de seda rosa com uma calcinha branca normal e que estava bem enfiada na bunda. Sentei na beirada da cama e comecei a passar a mão nas pernas dela, principalmente nas coxas que mesmo não sendo grossas eram torneadas, fui subindo até sua bundinha e apalpei com vontade várias vezes enquanto notava que estava com o pau ficando duro. Aproveitando daquela situação resolvi ser mais ousado e afastando a calcinha dela e coloquei o meu dedo indicador no cuzinho de Sarah enquanto passava a mão em meu pau ainda dentro da cueca branca que vestia.

Nesse momento Sarah começou a acordar e surpresa ao me ver perguntou o que eu estava fazendo, retirei o dedo do cuzinho dela e continuei apalpando sua bunda redonda e disse que estava indo na cozinha e fui ver ela dormindo. Ela então disse que não tinha nada que me atraísse nela, eu discordei e disse que ela estava me deixando com muito tesão mas Sarah voltou a dizer que ela não era uma garota comoveu gostava e eu novamente discordando disse que sabia que ela era um garoto e que mesmo assim não me importava. Então fui deitando ao lado dela na cama e enquanto passava a mão no rosto dela beijei sua boca pequena e macia, que acabou correspondendo e ficamos nos beijando por um longo tempo enquanto ficávamos abraçados. Decidi ser mais ousado e coloquei meu pau pra fora da cueca mostrando o quanto estava excitado e pegando na mão de Sarah levei até meu pau, ela tocou de leve enquanto nos beijávamos.

Retirei de lado uma das calcinhas da camisola dela e deixei seus seios a mostra, eles eram pequenos mas abocanhei eles com vontade e chupava com força enquanto erguia sua camisola e passava a mão na barriga dela, Sarah já me masturbava lentamente e eu enquanto ainda chupava aqueles peitinhos fui descendo minha mão até a calcinha dela que se ajeitou na cama ficando de barriga pra cima. Eu então me levantei e retirei minha cueca e fiquei de joelhos na cama no meio das pernas de Sarah, puxei a calcinha dela e peguei naquele pinto ainda meia bomba, não era muito grande, na verdade era só um pouco menor que o meu. Me reclinei e dei uma lambida na cabeça e apalpando o saco dela comecei a chupar o ponto da Sarah enquanto ela acariciava os pequenos seios. Fiquei chutando aquele pau por alguns minutos e algumas vezes colocava ele todo na boca, fazendo Sarah gemer de tesão.

Comecei a passar o dedo no cuzinho da Sarah enquanto chupava o pau dela, e numa dessas passadas introduzi o dedo fazendo Sarah se contorcer e gemer mais. Me debrucei sobre o corpo de Sarah e voltei a beija-la enquanto entregava meu pau no pau dela, aquela sensação era muito gostosa e ficamos assim por algum tempo. Sarah então disse que não tinha tido nenhuma experiência sexual de verdade além de sexo oral e de usar “brinquedinhos” para ter prazer anal, falei que se ela não quisesse não faríamos isso, mas ela disse que confiava em mim e que queria continuar. Voltei até meu quarto para peguei uma camisinha e quando voltei Sarah estava toda nua deitada de bruços passando gel lubrificante no cuzinho dela.

Deitei sobre Sarah e fui colocando bem devagar o pau no cuzinho apertado dela que gemia de dor, continuei forçando até que consegui enfiar quase todo meu pau dentro do cu dela e me debrucei sobre o seu corpo e comecei a bombar com um pouco mais de força enquanto perguntava a Sarah se estava doendo e ela choramingando disse que sim mas que queria continuar, então continuei bombando enquanto beijava o pescoço e rosto dela.

Sarah disse que queria parar então sugeri mudar de posição, ela aceitou e depois que sai de cima ela se virou de barriga pra cima. Fiquei de joelhos no meio das pernas dela, passei mais um pouco de gel lubrificante no cuzinho e coloquei as pernas dela sobre meus ombros e comecei a penetrar novamente o cu apertadinho de Sarah. Ela gemia mais e disse que assim estava melhor e começou a se masturbar enquanto eu fazia movimentos de vai e vem já com um ritmo mais rápido. Nós estávamos muito excitados e enquanto eu penetrava Sarah ela gemia maia com sua voz fina de adolescente.

Segurei nos pés dela e comecei a beijar eles na região dos tornozelos e chupava seus dedos, após isso tirei as pernas dela de meus ombros e me debrucei sobre o corpo dela e começamos a nos beijar enquanto eu aumentava o ritmo das estocadas. Sarah então pediu para eu gozar nela enquanto ela também gozava, tirei meu pau do cu dela e a camisinha, peguei meu pau e comecei a esfregar junto com o pau de Sarah até que ela começou a ejacular e eu também pouco depois dela. Deitei sobre o corpo dela e ficamos nos esfregando todos melados de porra enquanto eu acariciava o corpo lisinho e macio de Sarah.

Depois voltei para meu quarto e no resto do feriado que passei na chácara nos agarrávamos escondidos pelos cantos batíamos punheta um pro outro no banheiro e eu chupava seus peitinhos e dedava o cuzinho dela na piscina enquanto nadávamos.

About these ads